Blog

Pesquisadores encontram biomarcadores para autismo em bebês

Pesquisadores identificaram biomarcadores em exames de imagem de cérebros de bebês capazes de prever o risco do desenvolvimento de autismo em um momento futuro da infância.

O estudo inovador prospectivo de neuroimagem de 106 bebês com alto risco familiar para autismo e de 42 bebês de baixo risco mostrou que a hiperexpansão da área da superfície cortical entre seis e doze meses de idade precedeu o crescimento exagerado no volume cerebral entre 12 e 24 meses em 15 bebês de alto risco diagnosticados com autismo aos 24 meses.

Os achados, publicados este mês no Nature , poderiam facilitar o diagnóstico pré-sintomático do transtorno do espectro autista (TEA), possibilitando uma intervenção precoce.

“Quando o TEA é diagnosticado entre 2 e 4 anos de idade, frequentemente as crianças já ficaram para trás em termos de habilidades sociais, comunicação e linguagem em comparação aos seus colegas”, disse Annette Estes, coautora e diretora da Universidade do Centro de Autismo de Washington. “Depois de perder esses importantes marcos de desenvolvimento, tentar tirar o atraso é uma luta para muitos e praticamente impossível para alguns.”

“A última parte do primeiro ano de vida e o início do segundo ano são caracterizados por uma maior neuroplasticidade em comparação a idades mais avançadas e é um período em que as deficiências sociais associadas ao autismo ainda não estão bem estabelecidas. Intervenções nesta idade podem ser mais eficazes do que mais tarde no desenvolvimento”, explicaram os autores.

Fonte: univadis

Leave a Comment

Name*

Email* (never published)

Website